Sign in with Twitter Sign in with Facebook

Type the topic in any language to check out real time results of Who's Talking on Social Media Sites


Trending Topics: RIP Tom Meninoスト玉もんもんび#ListenToLionHeart#BenceEnGuzelŞarkı#TwıteruyesatisiWhtsaap0537x206x1834ホークス日本一#AskNeppo#AkpartineferiHalilGülerFENERBAHÇE SevdamızBaşkadır#AskCM#私の絵柄で欲しいグッズを教えて下さいみんなお菓子1AstsubayŞehit YüreğimizYanıyor#AksaİcinHareketeGecŞEREFmiBizOna BEŞİKTAŞdiyoruzVote - Worldwide ActGundemYazari Onlayyn#MarvinsHalloweenMixtapeMilletYasta CehapeOynaşta#DulceMariaReinaLatinAmerica#WomensSportConf#彼氏からの予測変換でリア充がバレる#彼女からの予測変換でリア充がバレる#QuintaMagicaDoSdvComTiuMarkito#SintoCiumesQuando#KeepCalmVoteDem#ChalkToss#AnittaVocêMereceOMundo#BenBeklerim#catmovies#WorldSeriesChampionsあと9分Tomorrow is Halloween#FelizAniversarioMcDaleste守備妨害BumgarnerHumberto GessingerTim CookJim MurphyTavaresLabour中川家T-PainLondonChristmas#WhereIsCarmenSandiego#technologyandstuffYoung FathersWorldwide ActPaulo VictorCleveland韓国のバラエティホコリを食う#KaraKartalKoyFenere#Taglarınız50TLyeGündemeÇıkarıtılırSkypeBuraklc97Proud to Be Gay#BirİçTehditOlarakCİAmaat誤審Tom InceRocket ExplosionFireball WhiskeyElizabeth NormentJoe PanikNational Cat DayUltronRenee ZellwegerHoney Boo BooBruce JennerMadison BumgarnerAmelia EarhartJose Cansecodaylight savings timechicago bullscollege boardMiami HeatWorld SeriesNBADaniel RadcliffeJessica BielMore

Most recent 100 results returned for keyword: Bicho (Search this on MAP)

Flickr Cárcel de cristal para bichos
Tags: canon   de   foto   aguilar   alas   fotografia   cristal   sombras   bicho   bote   mls   bocho   avispa   tarro   kuku   campoo   60d   

Recent Updated: 2 months ago - Created by mls2012 - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - mls2012
Flickr Bicho sobre un caracol
Tags: milan   insectos   macro   insect   nikon   bichos   caracol   chinche   d90   nikon55200mm   
Se trata de una chinche. Su nombre científico es Graphosoma lineatum.

¿De qué equipo de fútbol es seguidor?


Nikon D90.
Teleobjetivo Nikon VR 55-200 f / 4 - 5,6G
200mm.
ISO 200
1/800s - f8
+0,7EV
8330K

Recent Updated: 2 months ago - Created by José Ramón Gómara - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - José Ramón Gómara
Flickr Bicho Palo Verde
Tags: brown   macro   verde   green   animal   bug   insect   cafe   sony   planet   palo   bicho   a57   sal18135   
Bicho Palo Verde
Sony A57 SAL18135
1/100, f/14, ISO 400, 135mm

video, great jumpin spider eating a prey:
www.youtube.com/watch?v=Gd-Ze7J8g1M

and mantis feeding:
www.youtube.com/watch?v=20RxbztjxdI

Recent Updated: 3 months ago - Created by GORIGONZALEZ - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - GORIGONZALEZ
Flickr Alimentando a los bichos.
Tags: light   food   luz   peru   wings   day   comida   wing   playa   paisaje   aves   dia   alimento   alas   dinning   comer   bichos   hambre   picos   paracas   pelicano   volar   pelicanos   hambriento   beaqch   hambrientos   
Región de Paracas - Perú.
Recent Updated: 3 months ago - Created by Photoroca - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Photoroca
Flickr Bicho...
Tags: macro   canon   galicia   90mm   bicho   vigo   tamronaf90mmf28spdimacro   
Bichejo...
Recent Updated: 6 months ago - Created by sairacaz - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - sairacaz
Flickr Bicho
Tags: bicho   insecto   
Bicho
Recent Updated: 6 months ago - Created by Ricardo Ruiz Foto - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Ricardo Ruiz Foto
Flickr Bicho-preguiça (Bradypus infuscatus) - Sloth
Tags: sloth   preguiça   aldeia   bichopreguiça   robertoharrop   bradypuysinfuscatus   
Local da foto: In a tree in my front yard.
Aldeia - Pe

Recent Updated: 6 months ago - Created by Roberto Harrop - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Roberto Harrop
Flickr Bicho
Tags: chile   sea   macro   canon   bug   eos   rebel   mar   bokeh   sigma   300mm   sur   bicho   chiloe   t3i   insecto   oruga   pinguinera   600d   
Oruga de mar? Algo así. @Pinguineras, Chiloé, Chile.
Recent Updated: 8 months ago - Created by Seba P. D. - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Seba P. D.
Flickr Bicho-preguiça (Bradypus infuscatus) - Lazy sloth in its matutine sunbathe in the top of a tree
Tags: sloth   preguiça   aldeia   bichopreguiça   bradypusinfuscatus   robertoharrop   
Local da foto: Aldeia - PE
Recent Updated: 1 year ago - Created by Roberto Harrop - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Roberto Harrop
Flickr bicho
Tags: bicho   julu   benamocarra   julucar   julupaez   

Recent Updated: 1 year ago - Created by JuLuCar - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - JuLuCar
Flickr Bicho peludo
Tags: macro   pentax   abraham   mariposa   bicho   k5   insecto   polilla   mqtrf   blinkagain   bestofblinkwinners   blinksuperstars   
Macro con los tubos de extensión :)

mqtrfin.blogspot.com.es/

Recent Updated: 1 year ago - Created by Abrahamciño - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Abrahamciño
Flickr Desafio Animal II - #15 - Bicho que queria ter em casa, mas não posso: Girafa!!!
Tags: animal   zoo   jade   giraffe   cappuccino   marron   bicho   girafa   marrom   desafio   girafinha   giraffenailart   nailartgirafa   desafioanimalii   cappuccinojade   adesivogirafa   
Se tem um bicho que eu realmente gostaria de ter em casa é a Girafa.
Aiiii como eu acho girafa um bicho lindooo gente..
Eu não me canso de falar isso pra vcs né? Mas é que eu amooo mesmo a Girafa kkkkk
E não posso ver um zoo na minha frente que já entro procurando Girafa, seja lá onde for que eu estiver rsrsrs.... (vide comentários)
Esse marronzinho da Jade é uma delícinha de esmaltar, mas dá fome viu, já adianto rsrs... apesar de se chamar Cappuccino, me lembrou brigadeiro de colher... hummm.. nham nham nham...
E os adesivos ganhei da minha amiga Greice .

Enfim, terminei o Desafio Animal II! Façam também, é divertido, gostoso, fofo e dá pra soltar a criatividade...
Kisses

Recent Updated: 1 year ago - Created by Eva Super - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Eva Super
Flickr rosa branca com bicho dentro
Tags: nature   natureza   flor   rosa   inseto   bicho   

Recent Updated: 1 year ago - Created by Fred Matos - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Fred Matos
Flickr Bicho Noctámbulo
Tags: bichos   
Una de mis ilustraciones esta presente en el libro "Muchos Bichos".
Realizado en un día dentro del marco "WORKSHOP GRÁFICA AL MARGEN"
esta es la version digital del libro. issuu.com/proyectoscomunicorriente/docs/muchosbichos

Gracias Proyectos Comunicorriente :3

Recent Updated: 2 years ago - Created by Benenus - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Benenus
Flickr bicho raro
Tags: macro   insect   natura   trunk   bicho   insecto   troncodeárbol   encandilarte   
Para evaluar

Me he pasado el día buscando bichos, con lo poco que me gustan. Me ha parecido dificilísimo, a esas distancias, el más mínimo movimiento implica desenfoque y con el trípode no soy bastante rápida. Este bicho ha estado quieto el tiempo suficiente para que pudiera fotografiarlo.

Recent Updated: 2 years ago - Created by elvira boix - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - elvira boix
Flickr Capa de galão - Bicho da fazenda
Tags: galinha   para   vaca   porca   cocós   bombona   bichosdetecido   bichosdafazenda   puckabelinha   capadegalãocapa   
Ultimo trabalho de 2011.
Projeto do Atelie Puck Abelinha de Mogi das Cruzes.
Está enfeitando a área de artesanato do Orquidário Oriental.

Recent Updated: 2 years ago - Created by Ma Ma Marie Artcountry - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Ma Ma Marie Artcountry
Flickr bichos...
Tags: macro   verde   planta   olympus   ibiza   eivissa   bichos   soe   santantoni   flickraward   xz1   olympusxz1   olyxz1   
No me di cuenta de que estaban ahí hasta que la amplié...
Recent Updated: 2 years ago - Created by ibiza raw - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - ibiza raw
Flickr Bicho
Tags: macro   bug   insect   sony   escarabajo   bicho   insecto   gorgojo   dschx100v   exapionfuscirostre   
Me han dicho que su nombre es un "Exapion fuscirostre" um gorgojo que se usa como controlador biologico para combatir a una planta invasora de algunos árboles. Yo no tengo ni idea de insectos, pero por si puede ser de utilidad.
Recent Updated: 3 years ago - Created by mike828 - Miguel Duran - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - mike828 - Miguel Duran
Flickr Bicho IV
Tags: red   macro   canon   drops   rojo   gotas   tamron   bicho   tamron90mm   eos550d   
sairacaz.500px.com/
Recent Updated: 3 years ago - Created by sairacaz - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - sairacaz
Flickr bichos
Tags: de   rosa   botão   bichos   vermelha   bichinhos   takenwithlove   coth5   mygearandme   

Recent Updated: 3 years ago - Created by Leone Pastre - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Leone Pastre
Flickr bicho y flor
Tags: naturaleza   flower   nature   flor   bicho   viaxeiros   
bicho y flor
Recent Updated: 3 years ago - Created by javier balseiro - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - javier balseiro
Flickr Bicho-preguiça (Bradypus infuscatus) - Sloth
Tags: preguiça   aldeia   bichopreguiça   bradypusinfuscatus   robertoharrop   
Local da foto: Aldeia, PE
Recent Updated: 3 years ago - Created by Roberto Harrop - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Roberto Harrop
Flickr Bicho-preguiça (Bradypus infuscatus) - Sloth
Tags: sloth   preguiça   aldeia   bichopreguiça   bradypusinfuscatus   robertoharrop   
Local da foto: Aldeia, PE
Recent Updated: 3 years ago - Created by Roberto Harrop - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Roberto Harrop
Flickr Sábado-animal (bicho-preguiça)
Tags: brasil   museu   preguiça   pará   norte   belém   bichopreguiça   goeldi   emílio   sábadoanimal   
A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás, pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).

Fonte: pt.wikipedia.org/wiki/Bicho-pregui%C3%A7a

Foto feita usando teleobjetiva e o zoom digital.

Estive no museu Emílio Goeldi com o Lamorim e resolvi voltar no dia seguinte para ver se um botão de flor da vitória-regia havia aberto e fui premiada com esta aparição. E foi a Drika que me chamou para ver o bichinho!


Recent Updated: 3 years ago - Created by sonia furtado - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - sonia furtado
Flickr Un bicho
Tags: butterfly   bug   mariposa   bicho   wwwisidroceacom   
Creo que se llama Mariposa.

Ya sé que me salgo de mi temática, pero el caso es que teniendo los tubos de extensión (os dos chinos, os de 4 patacóns) ¿porqué no voy a utilizarlos? ¿eh?
Además, aunque no sea una persona, que me corrija el especialista en la materia, Don Paco Amor, creo que el "retrato" del tal individuo alado tampoco ha quedado mal.

Ella: Un bicho
Foto y recorte: Isidro Cea

Sugerencia musical:
Mariposas - Silvio

[Explore #322]
.

Recent Updated: 3 years ago - Created by Isidr☼ Cea - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Isidr☼ Cea
Flickr El Bicho Volador www.javiersalazar.es
Tags: macro   fauna   canon   eos   flora   alas   granada   bicho   guejarsierra   100mmmacro28isusm   
Un bicho que cacé cuando estaba haciendo una sesión de macro.

Mas en mi fotoblog: www.javiersalazar.es

Recent Updated: 3 years ago - Created by Janelka_ - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Janelka_
Flickr Bichos da seda (fêmeas)
Tags: insectos   portugal   canon   butterflies   borboleta   algarve   lagarta   vilamoura   borboletas   asas   insecto   selvagem   amoreira   bichodaseda   mygearandme   

Recent Updated: 3 years ago - Created by Zéza Lemos - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Zéza Lemos
Flickr 6mm. de bicho
Tags: naturaleza   insectos   bug   canarias   bichos   d300   invertebrados   
Feb 7, 2011. Explore #151
Nikon D300, Sigma 180mm. Macro + Teleconvertidor Sigma 1,4X Apo.

Ratio 1,4:1

Recent Updated: 3 years ago - Created by David Hdez.  - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - David Hdez. 
Flickr "Bicho" del Monte de Las Cenizas
Tags: anamaría   bicho   libélula   sympetrumsanguineum   canoneos40d   canonef100f2   libélulaflecharoja   gonzaloyanamaría   bateríadelascenizas   parqueregionaldecalblanquemontedelascenizasypeñadeláguila   8macroisusm   
Mejor en grande sobre fondo negro. -Pinchar en la foto-

Primera salida del grupo Fotoencuentros del Sureste.

Fue a Portman, y alrededores. Estuvimos en las
minas, Batería de Las Cenizas, Calzada Romana, Bahia de Portman, Playa del Lastre y Batería de La Chapa.

"Parte de guerra"

El día pintaba bien:

- A la ida, me equivoca el GPS la salida de la autovía y aparecemos en el valle de Escombreras. Retroceder 3 km y enderezar el rumbo (empezamos bien).

- Llegados al punto de encuentro, nos informan que Carlos (Charly JPG) ha perdido las gafas y se ha ido a buscarlas. Por suerte, las encontró. (Fue cuestión de una hora, más o menos).

- Cuando subimos a donde estaban las vagonetas y decidimos que había que aplicar Aután, ya habían desayunado la mitad de los mosquitos que había por la zona.

- De camino a la calzada romana, Carlos Javier (XavierSam) resbala y va de cabeza al suelo... (Si es que no teníamos que haber salido).

- Ya en la calzada romana, Ana tiene un despiste e intenta quitarle el pico a una piedra con la lente del Canon EF-100 macro IS. "¡Joé!", que se picó la lente y a la piedra no le pasó "na". Menos mal que el picado quedó fuera del cono de visión del objetivo. (La racha iba a durar hasta el final).

Quitadas esas "pequeñas" incidencias, lo pasamos bastante bien.
Bueno, a Ana había que despegarla de los matorrales con agua caliente porque como haya bichos, estamos perdidos. (Y había bichos).

Este fue uno de los macros que pilló, pero tiene bastantes más y amenaza con subirlos.

Y este es, a grandes rasgos, el "parte de guerra" del pasado domingo 17 de octubre, para que quede constancia.

Recent Updated: 4 years ago - Created by Gonzalo y Ana María - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Gonzalo y Ana María
Flickr 2 X 1....bicho y flor.... EXPLORE
Tags: 2   1   flickr   y   flor   x   explore   bicho   langosta   saltamontes   agirau   
Para todos aquellos que subís bichos...y nos los pasais por las narices...¡hala!!!.... yo también he subido un bicho verde..y una rosa diminuta....Jjajajjajjjajja
Recent Updated: 4 years ago - Created by AGirau ... - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - AGirau ...
Flickr Bicho-preguiça (Bradypus infuscatus) with baby sloth on the back
Tags: preguiça   bichopreguiça   bradypusinfuscatus   
Bicho-preguiça com bebê nas costas, atravessando, pelo chão, de uma árvore para outra. Sloth with its baby on the back going through the lane from one tree to another. This photo was taken in front of my house.
Recent Updated: 4 years ago - Created by Roberto Harrop - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Roberto Harrop
Flickr Bicho Preguiça
Tags: animal   brasil   museu   bicho   pará   belém   amazônia   goeldi   emílio   prequiça   
O bicho-preguiça é um mamífero com hábitos de vida noturnos. Esses animais vivem em florestas tropicais da América do Sul. Possui grandes garras, utilizando-as para subir e permanecer na copa de árvores. Sua alimentação baseia-se em folhas, raízes, brotos de algumas espécies de árvores e frutos. Dorme aproximadamente 14 horas por dia, pendurado nas árvores, descem do topo das árvores apenas uma vez por semana com o objetivo de fazer suas necessidades fisiológicas. Esta espécie animal orienta-se principalmente pelo olfato, pois seu sistema visual não é muito desenvolvido. Tem hábitos solitários e são extremamernte dóceis.

Foto tirada no parque zoobotânico do Museu Emílio Goeldi, Belém do Pará.




Recent Updated: 4 years ago - Created by Mara Hermes - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Mara Hermes
Flickr "UNA SERIE DE FLORES Y BICHOS" Buen fin de semana.Good weekend.
Tags: floresybichos   bressofotografias   
Espero que sea de su agrado esta serie de flores y bichos...Con ella les deseo que pasen un lindo fin de semana a todos mis contactos y visitantes de mi pagina...
Pueden ver y comentar la serie o si les gusta comentar la foto que sea de su agrado...

*I hope you will enjoy this series of flowers and bugs ... With this I wish to spend a nice weekend to all my contacts and visitors to my page ...
You can see and comment on the series or if you like to comment on the photo you will enjoy it ...

Recent Updated: 4 years ago - Created by bresso-fotografias - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - bresso-fotografias
Flickr Bicho-preguiça (Bradypus infuscatus) - Sloth
Tags: preguiça   bichopreguiça   aldeiape   bradypusinfuscatus   
Um frequentador habitual do meu jardim. A frequent visitor to my front yard.
Recent Updated: 4 years ago - Created by Roberto Harrop - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Roberto Harrop
Flickr quadros bichos musicais
Tags: verde   cores   minas   5   artesanato   bebe   macaco   quarto   notas   bichos   arvores   animais   decoração   menino   mato   mão   pincel   nene   pintura   leão   girafa   mdf   bichinhos   quadros   elefante   tintas   conjunto   tocando   ambiente   violão   colorido   xadrez   uberaba   hipopotamo   chegada   organiza   atelie   musicais   pendurar   bandeiro   saxi   violãocelo   intrumentos   25x25   enxoval   combinando   imeratelie   infnatil   infantins   

Recent Updated: 4 years ago - Created by Imer atelie - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Imer atelie
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8462
Tags: friends   brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Um bebê.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. A baby.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8460
Tags: brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Um bebê.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. A baby.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8457
Tags: friends   brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   spiritofphotography   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Aqui, esse bebê está aprendendo a escalar árvores e "chorando" de medo.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. Here its baby is learning to climb trees and crying with afraid.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8450
Tags: brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Aqui, esse bebê está aprendendo a escalar árvores e "chorando" de medo.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. Here its baby is learning to climb trees and crying with afraid.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8445
Tags: brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Um Bebê.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. A baby.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8443
Tags: friends   brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Um Bebê.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. A baby.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8442
Tags: brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Um Bebê.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. A baby.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8437
Tags: brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8434
Tags: friends   brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Aqui, esse bebê está aprendendo a escalar árvores e "chorando" de medo.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. Here its baby is learning to climb trees and crying with afraid.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8433
Tags: brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil. Aqui, esse bebê está aprendendo a escalar árvores e "chorando" de medo.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil. Here its baby is learning to climb trees and crying with afraid.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr Série com o Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus infuscatus) - Series with the Brown-throated Sloth - 19-05-2010 - IMG_8431
Tags: brazil   naturaleza   nature   animal   animals   brasil   cores   natureza   series   captive   animais   preguiça   cor   série   pará   belém   sloths   mpeg   bichopreguiça   capturada   belémpa   bradypus   preguiças   brownthroated   museuemíliogoeldi   belémdopará   infuscatus   fláviobrandão   brownthroatedsloth   bradypusinfuscatus   museuparaenseemíliogoeldi   bichospreguiça   
Bicho-preguiça, Preguiça (Bradypus variegatus), fotografada no "Museu Paraense Emílio Goeldi" (MPEG), em Belém-PA, Brasil.

A seguir um pequeno texto, em português, da Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitátios, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Classificação

As preguiças modernas se dividem em dois gêneros: Bradypus, as preguiças-de-três-dedos e Choeloepus, as preguiças-de-dois-dedos. O número de dedos varia somente nas patas anteriores. Ambos os gêneros apresentam nas patas traseiras três artelhos. Apesar de terem modos de vida e aparências semelhantes, as preguiças não são parentes próximas. As do gênero Bradypus se aproximam mais dos membros da família Megaterídeos, enquanto as Choloepus pertencem aos Megaloniquídeos.
Espécies

Família Bradypodidae: três dedos
Bradypus variegatus
Bradypus tridactylus
Bradypus torquatus
Família Megalonychidae: dois dedos
Choloepus hoffmanni
Choloepus didactylus
Inclui também algumas espécies extintas de preguiça-gigante.
Distribuição geográfica:
As preguiças vivem apenas nas matas do continente americano e estão divididas em seis espécies diferentes, que podem ter dois ou três-dedos nas patas anteriores.
Apesar de ocuparem o mesmo nicho ecológico, dificilmente se verifica a presença dos dois gêneros em uma mesma área.
No Brasil, existem as seguintes espécies de três-dedos:
Preguiça-comum (B. variegatus) que também é encontrada de Honduras ao norte da Argentina e todas as florestas do Brasil.
Preguiça-de-bentinho (B.tridactylus) que também vive na Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas
Preguiça-de-coleira (B. torquatus) que vive somente nos nos trecho da Mata Atlântica que vão do Rio de Janeiro ao sul da Bahia, sendo esta a espécie mais ameaçada de extinção.
Em 2001 foi descoberta uma nova espécie no Panamá, a preguiça-anã (B. pygmaeus)
A preguiça-de-dois-dedos (Choloepus didactylus) é encontrada da América Central até São Paulo, no Brasil.
A preguiça-real (Choloepus hoffmanni) vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua até o Brasil Central.
Aparência:
São animais de porte médio (cerca de 3,5 a 6 kg quando adultas), de coloração geral cinza, tracejada de branco ou marrom-ferrugem, podendo ter manchas claras ou negras. A pelagem pode parecer esverdeada graças à algas que se desenvolvem na sua pelagem servem de alimento para as lagartas de determinadas espécies de mariposa, que vivem associadas aos bichos-preguiça.
O pêlo cresce em sentido diferente dos demais mamíferos, isto é cresce do ventre em direção ao dorso. Essa adaptação se dá ao fato da preguiça passar quase o tempo todo de cabeça para baixo e isto ajuda a água da chuva correr sobre o corpo do animal.
Possuem membros compridos, corpo curto, cauda curta e grossa, adaptados para o seu modo de vida (sempre pendurados em galhos da copa de árvores altas).
Possuem 8 a 9 vértebras cervicais, o que lhes possibilita girar a cabeça 270° sem mover o corpo. Seus movimentos são sempre muito lentos e costumam dormir cerca de 14 horas por dia; por isso ganharam o nome.
A sua temperatura corporal é sempre muito próxima da do ambiente, sendo por isso considerados animais homeotérmicos imperfeitos.
Dieta:
As preguiças alimentam-se de folhas novas de um número restrito de árvores, dentre as quais se conhece a embaúba, a ingazeira, a figueira, a tararanga. O estômago dos bichos-preguiça é um tanto semelhante ao dos animais ruminantes, pois é dividido em quatro compartimentos e contém uma rica flora bacteriana, que permite a digestão inclusive de folhas com alto teor de compostos naturais tóxicos.
Os dentes das preguiças não tem esmalte, por isso só se alimentam de brotos e folhas. Estão sempre crescendo devido ao contínuo desgaste. Por não ter incisivos, a preguiça parte as folhas usando seus lábios duros.
Podem também se nutrir lambendo as algas que crescem em seus pêlos.
As preguiças nunca bebem água pois a quantidade deste líquido que elas necessitam para viver é absorvida do próprio alimento, através das paredes intestinais, durante o processo de digestão.
Reprodução:
A gestação da preguiça dura quase onze meses. O recém-nascido mede 20 a 25 cm e pesa cerca de 260 a 320 g. As fêmeas dos bichos-preguiça carregam o filhote nas costas e ventre durante aproximadamente os nove primeiros meses de vida. Durante esse período, a mãe protege o filhote, enquanto ele se prepara para sobreviver sozinho no ambiente da mata.
A expectativa de vida para uma preguiça varia de 30 a 40 anos.
Hábitos:
Preferem viver em árvores altas, com copa volumosa e densa e muitos cipós, onde se penduram usando as garras que, embora possam parecer assustadoras, praticamente não servem para nenhuma defesa, devido á lentidão dos seus movimentos. Graças a essa lentidão, a sua coloração e ao fato de permanecerem na copa de árvores muito altas, é muito difícil enxergar as preguiças na mata. Mesmo assim, elas têm predadores naturais, como a Harpia, as onças e algumas serpentes.
Várias espécies de besouro e ácaro se alimentam das fezes das preguiças e usam esses animais principalmente como transporte (forésia).
Urinam e defecam apenas a cada 7 ou 8 dias, sempre no chão, próximo à base da sua árvore em que costuma se alimentar. Com isso, há uma reciclagem dos nutrientes contidos nas folhas ingeridas pelo animal, que são parcialmente devolvidos á árvore através dos seus dejetos.
Apesar de lentas em terra, as preguiças são excelentes nadadoras.
Status de conservação

Atualmente, o principal predador desses animais é mesmo o homem, que as comercializa em feiras livres e nas margens de rodovias. A ação do homem sobre esses animais tem sido muito facilitada, nos últimos tempos, pela acelerada fragmentação e destruição das matas, o que leva as preguiças a se locomoverem desajeitadamente pela superfície do solo, de uma ilha de mata para outra, em busca de sobrevivência, ficando totalmente expostas à caça e à captura.
A preguiça-de-três-dedos é muito procurada como animal de estimação. Contudo, seu metabolismo lento e adaptado as condições de vida na floresta mostra-se extremamente vulnerável a doenças, causando uma alta mortalidade entre animais em cativeiro.
Graças ao seu temperamento agressivo e a seus caninos afiados, a preguiça-de-dois-dedos não é valorizada como bicho de estimação.
Devido a seu habitat limitado à copa das árvores, e a seus hábitos alimentares especializados, a preguiça é muito afetada pela diminuição das florestas tropicais. Estima-se que venha a ser espécie ameaçada em futuro próximo.
No Brasil ocorrem todas as espécies de preguiças de três dedos, estando o B. torquatus restrito à Mata Atlântica.

Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus), photographed at Museu Paraense Emílio Goeldi, in Belém-PA, Brazil.

Following, a text, in english, from the Wikipedia the Free Encyclopedia:

The Brown-throated Sloth (Bradypus variegatus) is a species of three-toed sloth from Honduras to Colombia, Ecuador, Brazil, W Venezuela, E Perú and Bolivia, Paraguay, and N Argentina. It is a mammal classified within the Bradypodidae family. It is one of only four species of three-toed sloths; the other three being the Pygmy Sloth, the Pale-throated Sloth, and the Maned Sloth.
he Brown-throated Sloth is the most widespread and common species of the group, being found in many different kinds of environments, including evergreen and dry forests and in highly perturbed natural areas.
It is a solitary, nocturnal and diurnal animal, feeding on leaves of many species of trees.
The female of the species is known to emit a loud, shrill scream during the mating season to attract males. It is a cry that sounds like "ay ay". This scream has been remarked to sound exactly like that of a woman screaming. The male can be identified by a black stripe surrounded by orange fur on its back between the shoulders.
The Brown-throated Sloth has grayish brown to beige color fur and it is very coarse and stiff. A sloth has a round head and on it there are two eyes, a blunt nose, peg-like teeth, and ears that are not visible. The tail of a sloth is very small.
Over parts of its range, the Brown-throated Sloth overlaps the range of Hoffmann's Two-toed Sloth. Where this overlap occurs, the three-toed sloth tends to be smaller and more numerous than its relative, being more active in moving through the forest and maintaining more diurnal activity.
Subspecies

There are seven subspecies of the Brown-throated Sloth:[1]
Bradypus variegatus boliviensis, Gray 1871
Bradypus variegatus brasiliensis, Blainville 1840
Bradypus variegatus ephippiger, Philippi 1870
Bradypus variegatus gorgon, Thomas 1827
Bradypus variegatus infuscatus, Wagler 1831
Bradypus variegatus trivittatus, Cornalia 1849
Bradypus variegatus variegatus, Schinz, 1825

Recent Updated: 4 years ago - Created by Flávio Cruvinel Brandão - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Flávio Cruvinel Brandão
Flickr BICHOS
Tags: españa   color   grancanaria   digital   photoshop   canon   flickr   foto   no   canarias   fotografia   bichos   abeja   velocidad   escarabajo   islas   toma   laspalmas   tanto   captura   mariquita   objetivo   raros   filtro   diafragma   enfoque   bresso   sarantonton   
Algunos bichos que tenia por aqui guardados,tambien tengo algunos fotografos que pondre en una carpeta de bichos raros.jejeje.
Recent Updated: 4 years ago - Created by bresso-fotografias - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - bresso-fotografias
Flickr Bicho-Pau (Gafanhoto-de-Jurema)
Tags: naturaleza   macro   nature   closeup   lumix   close   wildlife   natureza   natura   ceará   habitat   sobral   vidaselvagem   dcr250   bichopau   manémagro   andréadeodato   raymoxdcr250   fz35   dmcfz35   panasonicfz35   faunalivrefaunaviva   freefaunalivefauna   
Minha primeira com a Raynox DCR-250
Recent Updated: 4 years ago - Created by FAUNA LIVRE, FAUNA VIVA - André Adeodato - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - FAUNA LIVRE, FAUNA VIVA - André Adeodato
Flickr bicho al orizonte
Tags: venezuela   ocaso   vacanze   imback   elbicho   saltandosinparar   ramusky   takenbymgm   conceptandppbyme   tramontoinvenezuela   
yo en el paraiso
Recent Updated: 4 years ago - Created by she goes a little bit slowly... - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - she goes a little bit slowly...
Flickr BICHO QUASE FLOR
Tags: animal   bichos   animais   array   borboletas   moscas   insetos   abelhas   caracóis   greatnature   overtheexcellence   

Recent Updated: 4 years ago - Created by Osman Said - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Osman Said
Flickr Bicho-folha
Tags: bug   insect   macrolicious   bichofolha   macromarvels   beautifulmonsters   boogieleaf   
O termo Bicho-folha é a designação comum aos insetos fasmatódeos e aos ortópteros da família dos tetigonídeos, especialmente dos gêneros Tanusia, Pterochroza, Mimetica e Typophyllum, que reúnem espécies que imitam folhas. A camuflagem atinge o máximo em espécies que simulam, com riqueza de detalhes, folhas que parecem ter sido parcialmente roídas por insetos ou se encontram manchadas por fungos. Também são conhecidos pelo nome de esperança-folha.

The term boogie leaf is the common name for insects fasmatódeos and Orthoptera of the family tetigonídeos, especially the genera Tanus, Pterochroza, mimetic and Typophyllum, bringing together species that mimic leaves. Camouflage reaches the maximum in species that mimic, in great detail, leaves that seem to have been partially eaten by insects or are stained by fungi. They are also known by the name of hope-sheet.
WIKIPEDIA

Recent Updated: 4 years ago - Created by tinica50 - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - tinica50
Flickr ¡Bicho!
Tags: red   flower   macro   verde   green   canon   bug   insect   rojo   flor   blomma      blume   fiore   maua   bicho   bulaklak   hoa   bloem   lill   insecto   pavot   çiçek   kwiat   blodau      kukka   цвет   цветок   λουλούδι   bláth   ดอกไม้   květina   floare   specinsect   canoneos40d   canonef100f28usmmacro   ყვავილი   
¿Y tú que miras?•
What do you look?•
Was suchen Sie?•
Que recherchez-vous?•
ما تنظرون؟•
你怎麼看?•
Τι ψάχνετε;•
•מה אתה מסתכל?•
Che cosa cercate?•
तुम क्या लग रही हो?•
何が見えるのですか?•
Что ты так смотришь?•
Ne görünüyorum?•

Recent Updated: 4 years ago - Created by Juan Antonio Capó - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Juan Antonio Capó
Flickr ¡Bicho!
Tags: luz   mar   agua   bicho   abigfave   

Recent Updated: 5 years ago - Created by SSyyRR - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - SSyyRR
Flickr Bicho Canasto - Bagworm Moth
Tags: moth   chorisiainsignis   bagwormmoth   chacoparaguayo   whitesilkflosstree   bichocanasta   oiketicuskirbyi   karinadiarte   basketbug   
Oiketicus kirbyi

The LORD looked down from his sanctuary on high, from heaven he viewed the earth, to hear the groans of the prisoners and release those condemned to death. Psalm 102

All my photos are copyrighted. Please do not use them for any purpose, including on blogs, without my express permission.

Recent Updated: 5 years ago - Created by Karina Diarte - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Karina Diarte
Flickr bicho raro
Tags: chiste   rapido   bicho   diario   raro   autista   raeioul   
le dicen bicho raro, pero en el mundo de los insectos el hermafroditismo es algo común (?)
Recent Updated: 5 years ago - Created by :raeioul - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - :raeioul
Flickr Bicho
Tags: portrait   blur   canon   photography   eos   rebel   design   photo   little   bokeh   tiger   bicho   400d   rebelofdesign   

Recent Updated: 5 years ago - Created by Joan_Quirós - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Joan_Quirós
Flickr Bicho-pau (corrigindo Gafanhoto de jurema)
Tags: insecta   lenteinvertida   bichopau   frenteafrente   buzznbugz   beautifulmonsters   nanaturezainnature   
Foto usando a técnica da lente invertida.
Local: Fazenda Rainha da Pedra - Cuité/Paraíba

Bicho-pau é o nome dado aos insetos da ordem Phasmatodea que são semelhantes a um pedaço de madeira ou graveto[1].

Em algumas regiões os ortópteros da família Proscopiidae são também chamados por este nome.

É um insecto herbivoro e totalmente inofensivo. Nas cidades, pode ser encontrado em goiabeiras. Tem um ótimo disfarce contra predadores.

Uma curiosidade sobre o bicho pau é o seu andar, ele anda devagar e se balançando, assim ele simula um galho (ou folha) acariciado pelo vento. Quando adulto, os machos diferenciam-se das fêmeas por serem menores, mais finos e possuírem pequenas asas que lhe permitem realizar pequenos vôos. Sua reprodução pode ser sexuada ou assexuada (partenogênese) Informações obtidas pt.wikipedia.org/wiki/Bicho-pau


Recent Updated: 5 years ago - Created by sonia furtado - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - sonia furtado
Flickr Que bicho é esse???
Tags: brazil   macro   nature   animal   brasil   fauna   canon   insect   eos   350d   eyes   olhar   wildlife   natureza   100mm   explore   inseto   dslr   softbox   antennas   guilherme   antenas   430ex   atento   ste2   strobist   whoisthisman   100mm28macro   grespan   quebichoéesse   vosplusbellesphotos   guilhermegrespan   
Foto por Guilherme Grespan

Observações:
Todas as fotos aqui postadas estão livres para divulgação, desde que com minha assinatura na foto e com os devidos créditos, como segue abaixo:

Foto por Guilherme Grespan - www.flickr.com/guilhermegrespan/

As fotos estão com tamanho reduzido para web, tenho todas em alta resolução, e sem a assinatura, caso alguem precise é só me enviar um email.

Qualquer utilização das fotos em meios comerciais, favor me contactar.

Contato:
email: gui_grespan@yahoo.com.br

Ao Publicar:
Caso você publique esta foto em algum local, favor me informar por email, para que eu possa manter o histórico.

Muito Obrigado.

______________________________________________________________________

Photo by Guilherme Grespan

Notes:
All photos posted here are free to disclosure, provided that with my signature on the photo and with the appropriate credits, as follows below:

Photo by Guilherme Grespan - www.flickr.com/guilhermegrespan/

The photos are reduced in size for web, have all at high resolution, and without the signature, if someone needs just send me an email.

Any use of photos for media business, please contact me.

Contact:
email: gui_grespan@yahoo.com.br

By Post:
If you publish this picture in any place, please let me know by email, so I can keep the history.

Thank you very much.

Recent Updated: 5 years ago - Created by _Guilherme Grespan - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - _Guilherme Grespan
Flickr *Bicho*
Tags: flower   macro   insect   bees   flor   bicho   insecto   malva   lumixaward   
My friends

www.flickr.com/photos/foreverchihiro/
www.flickr.com/photos/alair2525/



































Recent Updated: 5 years ago - Created by aflopos - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - aflopos
Flickr bicho * Calocoris nemoralis (Fabricius, 1787)
Tags: macro   animal   bug   insect   rojo   negro   beetle   bichos   escarabajo   bicho   animalia   insecto   insecta   miridae   heteroptera   homoptera   bichito   calocorisnemoralis   
Esta especies puede presentar varios colores y dibujos
Recent Updated: 5 years ago - Created by jacilluch - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - jacilluch
Flickr BicHoS dE PoRtA (cÃo e GaTO)
Tags: cão   kids   gato   bicho   maçaneta   deoração   santabagunça   
Novas estampas. Sempre estão surgindo novas...
Recent Updated: 5 years ago - Created by Santa Bagunça - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Santa Bagunça
Flickr Colorido bicho
Tags: blue   azul   closeup   colombia   moth   antena   pluma   bicho   antenas   plumas   cundinamarca   tabio   ambiró   canonsx10is   
Curiosas antenas azules, parecen un par de plumas.
Recent Updated: 5 years ago - Created by Ambiró - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Ambiró
Flickr Bicho-da-seda
Tags: macro   animal   animais   silkworm   bichodaseda   minolta50mmf28macro   sonya700   dslra700   renatocerqueira   
Bicho-da-seda
pt.wikipedia.org/wiki/Bicho_da_seda

"Silkworm"
en.wikipedia.org/wiki/Silkworm

renatocerqueira.zenfolio.com

Recent Updated: 5 years ago - Created by Renato Cerqueira - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Renato Cerqueira
Flickr Bicho-pau
Tags: sparkyfaisca   bichopau   

Recent Updated: 5 years ago - Created by Sparkyfaisca - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Sparkyfaisca
Flickr Bicho peludo 4
Tags: verde   bicho   peludo   trasotero   

Recent Updated: 5 years ago - Created by Trasotero - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Trasotero
Flickr Un par de bichos
Tags: colombia   bichos   cundinamarca   tabio   ambiró   
Coloridos bichos aferrados a una rama de una zarzamora.
Recent Updated: 5 years ago - Created by Ambiró - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Ambiró
Flickr bicho
Tags: bicho   
bicho
Recent Updated: 5 years ago - Created by MrHelil - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - MrHelil
Flickr os bichos
Tags: bird   illustration   bichos   girafe   
para a Agenda Cultural CMCascais, pelo Planeta Tangerina.
Recent Updated: 5 years ago - Created by Yara - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Yara
Flickr Bicho (faz de) conta / Pill millipede (Glomeris sp)
Tags: orange   brown   black   portugal   yellow   europe   small   spots   spotted   millipede   arthropoda   artrópodes   myriapoda   valongo   diplopoda   couce   bichodeconta   pillmillipede   oniscomorpha   glomerida   glomeris   diplópodes   armandocaldas   diplopods   miriápodes   glomerisconnexa   
Embora o carnaval ande por aí, este não está fantasiado.... é mesmo assim!
Quanto à identificação do bicho... obrigado Isidro!

Couce, Valongo, Portugal. (06/02/09)

Recent Updated: 5 years ago - Created by Armando Caldas - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Armando Caldas
Flickr Woodlouse / Bicho-de-conta
Tags: old   school   portugal   animal   illustration   image   estudo   picture   atlas   antiga   escola   animaux   portuguese   ilustração   bicho   desenho   crustacea   planche   imagem   ancienne   antigo   studie   zoology   estudar   gravura   1907   woodlouse   zoologia   traité   conta   gravure   zoologie   tatuzinho   crustáceo   isopoda   bichodeconta   oniscidea   tatuzinhodejardim   balthazarsantos   mattososantos   
Woodlouse / Bicho-de-conta

in Balthazar Santos e Mattoso Santos, Atlas de Zoologia, 1907

Recent Updated: 5 years ago - Created by CGoulao - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - CGoulao
Flickr bichos
Tags: fimo   monsters   bichos   polimerclay   arcillaspolimericas   superkitina   
Aqui el grupo completo, con la nueva adquisicion, una estrella del rock de algun planeta desconocido, cuyo nombre aun esta por determinar.
(eso si, toca la guitarra)

En mi blog

Recent Updated: 5 years ago - Created by Superkitina - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Superkitina
Flickr Bicho
Tags: bicho   
Bicho
Recent Updated: 5 years ago - Created by MrHelil - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - MrHelil
Flickr Bichos maçaneta de porta
Tags: lembrança   gato   porta   macaco   feltro   bichos   bicho   hipo   gatinho   porco   leao   hipopotamo   enfeite   lembrancinha   macaneta   
Orçamento para : everly@artecomamor.com.br
Comprar clique aqui

Recent Updated: 6 years ago - Created by ♥ ♥ ♥ Arte com Amor ♥ ♥ ♥ - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - ♥ ♥ ♥ Arte com Amor ♥ ♥ ♥
Flickr Bicho
Tags: bicho   insecto   1mill   
Ni idea de qué bicho es, si alguien lo sabe que me lo diga :P
Recent Updated: 6 years ago - Created by uchiuska - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - uchiuska
Flickr Bicho Papel
Tags: bichopapel   
Vi a foto da Dani e vim correndo mostrar meu Bicho Papel
Estou colocando os bilhetinhos/recadinhos/cartinhas que recebi das amigas queridas aqui do flickr.
Depois mostro dentro...

Recent Updated: 6 years ago - Created by Fabi Sehnem - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Fabi Sehnem
Flickr Bicho Azulgrana
Tags: bicho   sigma105   graphosoma   lineatum   nogarejas   metz44   explore►labodeguilla   
Identificado como Graphosoma lineatum por ewhe, éste sí que sabe de bichos, y de cómo fotografiarlos en condiciones.
Recent Updated: 6 years ago - Created by Antramir - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Antramir
Flickr Bellis annua con bicho verde
Tags: nature   bichos   naturesfinest   top2020   buzznbugz   vitofonte   bellisannua   unlimitedinsectslevel1   unlimitedinsectslevel2   
View Awards Count
Recent Updated: 6 years ago - Created by vitofonte - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - vitofonte
Flickr Bicho Alistano
Tags: kdd   bicho   aliste   fotografoszamoranos   
Imagen correspondiente a la KDD de "Fotógraf@s Zamoran@s" en Aliste de fecha 1.6.2008
Recent Updated: 6 years ago - Created by Antramir - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Antramir
Flickr Nicoooo,dime qué bicho es ésteeeeee!!!!
Tags: macro   colores   mano   domingo   bicho   insecto   antenas   tafalla   besote   mywinners   
Pues eso,que no sé qué bicho es ...Sólo sé que lo vi y me llamaron la atención sus colores..Así que ahí me pasé un rato tirada por el suelo,hasta que al final se subió a mi mano y con una mano enfoqué y con la otra lo sostuve..Mañosa que es una!! Por cierto ,si alguien se lo pregunta ,lo que hay debajo del bicho es mi guante de ciclista..jejeje!
Y quedo a la espera de que Nico nos asombre con su saber sobre entomología. : )

Recent Updated: 6 years ago - Created by La Vieja Sirena - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - La Vieja Sirena
Flickr Bicho-pau
Tags: inseto   restinga   bichopau   
Um chegado meu, peça fina, gente rara...mas é cara de pau.
Foto tirada no Parque Nacional Restinga de Jurubatiba.

Recent Updated: 6 years ago - Created by Bruno Vinícius - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Bruno Vinícius
Flickr Bicho negro
Tags: macro   planta   explorer   negro   flor   campo   escarabajo   bicho   insecto   oxythyrea   funesta   cajitadorada   esmeraldafernandezf   
No se como se que clase de insecto es , asi que .....bicho negro
Oxythyrea funesta

Recent Updated: 6 years ago - Created by Cajita ♥ - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Cajita ♥
Flickr Más Bichos, ahora una Abejita :-) More Bugs, now a Bee
Tags: chile   bug   bee   abeja   bicho   rancagua   insecto   anawesomeshot   theperfectphotographer   barbarilla   

Recent Updated: 6 years ago - Created by Les fleurs du mal - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Les fleurs du mal
Flickr Bicho...
Tags: inseto   coreidae   naturesfinest   heteroptera   thebestofday   gününeniyisi   bichosestranhos   leaffootbug   diactorbilineatus   percevejodemaracujá   
Que bicho é esse???
Recent Updated: 6 years ago - Created by Maurício Passos - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Maurício Passos
Flickr Bicho peludo - Bombylius discolor
Tags: naturaleza   insectos   nature   insects   priroda   bicho   naturesfinest   hmyz   macromundo   ar1   impressedbeauty   specinsect   
Anybody can help ID this insect?
Recent Updated: 7 years ago - Created by HanaHoudkova - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - HanaHoudkova
Flickr bichos lembrancinha de maternidade
Tags: monkey   handmade   selva   artesanato   lion   craft   felt   macaco   feltro   bichos   leão   elefante   maternidade   selvagem   chaveiro   hipopótamo   lembrancinha   fieltro   selvagens   sachê   portoalegrers   lembrancinhamaternidade   mãosarteiras   100artesanal   coisasdefeltro   
Sugestão de lembrancinha: chaveiro, sachê, ponteira de lápis...
Recent Updated: 7 years ago - Created by Mãos Arteiras • brincando com feltro - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Mãos Arteiras • brincando com feltro
Flickr Bicho-Preguiça
Tags: animal   preguiça   bicho   pará   belém   câmeradeourobrasil   
e eu me apaixonei....
queria levar pra casa =/

Recent Updated: 7 years ago - Created by Socorro Coutinho - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Socorro Coutinho
Flickr Bicho
Tags: macro   insect   bicho   roja   insecto   avista   
Aquella planta estaba plagada de bichos de estos, que no había visto en mi vida.
Cabo de Gata (Almería).

Recent Updated: 7 years ago - Created by Manuel Pozo - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Manuel Pozo
Flickr Bicho
Tags: macro   insect   bichos   

Recent Updated: 7 years ago - Created by Alfredo Rúperez - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Alfredo Rúperez
Flickr Kit com Pegadas de Bichos
Tags: patchwork   bichos   

Essas pegadas de bichos dão leveza aos protetores além de ficar muito engraçadinho.

Recent Updated: 7 years ago - Created by SWEETBABYKIDS - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - SWEETBABYKIDS
Flickr Bichos e Rosas
Tags: eva   bichos   rosas   formigos   
Feitos em E.V.A.
Foram para os Formigos (www.formigos.com.br)

Recent Updated: 7 years ago - Created by minhas_marias - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - minhas_marias
Flickr Bicho Pau?
Tags: inseto   bichopau   
Foto tirada aqui em casa mesmo; Bichinho estranho...conheço como Bicho Pau... Ele tem até sapatos..uhahaha
03/01/2007

Recent Updated: 7 years ago - Created by Daniel Del Sarto - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Daniel Del Sarto
Flickr Bicho.
Tags: verde   rua   bicho   parede   
Alguém sabe o nome desse réptil?
Estava passando na rua e o vi de longe. Parei o carro e desci em frente a um bar, cheio de caras jogando sinuca que pararam p/ ver a "louca batendo foto do bicho verde".
Mas achei simplesmente lindo!!

Recent Updated: 7 years ago - Created by Registros da Massi - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Registros da Massi
Flickr bicho-pau
Tags: wood   nature   amazon   natureza   pau   madeira   bicho   pará   amazônia   camuflagem   heidertorres   
O bicho-pau possui uma das adaptações mais fascinantes do reino animal, a camuflagem. É um animal que pode passar horas paralisado em um galho de árvore, sem que seja notado.

O bicho pau é um inseto totalmente inofensivo e de movimentos lentos, vale-se desta curiosa estratégia para se defender de predadores, principalmente de aves. Se não bastasse sua camuflagem, algumas espécies de bichos-pau ainda eliminam um fluído leitoso e repugnante para se defender enquanto outras, têm o poder de regenerar membros perdidos. Os ovos desses insetos são muito parecidos com sementes, lançados ao acaso pelas fêmeas no solo. De maneira geral, elas não escolhem lugares especiais para postura, simplesmente deixam os ovos caírem no chão. O desenvolvimento do embrião é lento, demorando de 100 a 150 dias para eclodir.

Após a eclosão, o jovem inseto é chamado de ninfa e sua forma é semelhante a dos adultos. Curiosamente, pouco depois do nascimento, fica bem maior do que o ovo que o abrigava. Isso ocorre porque o corpo do inseto distende assim que ele nasce.
Os bichos-pau vivem em plantas, se alimentam de folhas e brotos principalmente de goiabeiras e pitangueiras e nunca chegam a uma população suficientemente numerosa para causar danos a agricultura.

Esta espécie de bicho pau é uma das maiores espécies que existem no Brasil, com fêmeas com cerca de 22 cm em média. Os machos são bem menores e com asas.

Possuem hábito noturno e ocorrem no Rio de Janeiro, Bahia, Espirito Santo e Amazônia.

www.zoologico.sp.gov.br/animaisdozoo/bicho_pau.htm

Recent Updated: 7 years ago - Created by heidertorres - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - heidertorres
Flickr El Bicho
Tags: bicho   música   flamenco   conciertos   
Una actuación de El Bicho no puede dejar a nadie indiferente. impresionante!
Recent Updated: 9 years ago - Created by Txus. - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Txus.
Flickr Bicho Pau
Tags: wild   brazil   animal   brasil   fauna   insect   exotic   inseto   seca   exótico   nordeste   caatinga   bichopau   

Recent Updated: 9 years ago - Created by Parnanet - Wallace Moura - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - Parnanet - Wallace Moura
Flickr bichos
Tags: bichos   
unos bichos haciendo lo suyo
Recent Updated: 10 years ago - Created by ramjamx - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - ramjamx
Flickr bichos
Tags: felt   bichos   fieltro   cuelgamovil   
Son para colgar del móvil o donde se quiera
Recent Updated: 11 years ago - Created by MATU-K - View

Copyright and permission to use should be sought to the author - MATU-K